2013-11-14

Quem São e o Que Pensam os "Nossos" Juízes e Procuradores.

O Que Revelam as Opções Políticas (Filosóficas e Socias) Dos "Nossos" Juízes e Procuradores



Como toda a gente saberá, certamente, por aqui, esta foto documento uma das lesões que me resultaram duma torpe, infame, agressão policial, ocorrida num elevador do edifício dos Tribunais Criminais do "Campus da (in)Justiça". A agressão aconteceu no dia que antecedeu a inauguração oficial daquele antro de perfídia. Eu tenho 64 anos e estava presa; são duas agravantes... A agressão, como é óbvio, tinha Garantia prévia de impunidade; e ficou impune... até hoje, enquanto que eu continuo a ser perseguida: o Ministério Público INVENTA processos contra mim, do nada.
Toda a perseguição que me tem sido movida se prende com o desenrolar do processo Casa Pia. Para uma e outra coisa (o Processo Casa Pia e esta perseguição de que sou alvo) faltam, na sociedade e nas análises que se fazem por aí, respostas coerentes e objectivas que "expliquem" como é possível a concretização de actos tão torpes...


A descrição dos dados da análise do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra, que se reproduz aqui em baixo foi obtida, "copy/paste", do artigo do semanário "Expresso" cujo link veio associado e se encontra no fim da transcrição.

Vejamos então o que revelam estes dados:

Em termos de Opções Políticas, (35,4 + 23 + 0,9=) 59,3% dos juízes dizem ser do "Centro", do "Centro-direirta" ou da "extrema-direita"...

Na sociedade (tomando por base os mais recentes resultados eleitorais) temos:

- 8,7% PSD
- 4,0% PSD/CDS
- 1,6% CDS
Total 14,3%...

Enfim, sejamos "generosos" e somemos mais 5 pontos percentuais (para as possíveis "distorções" decorrentes das inexactidões dos cadernos eleitorais e para a extrema-direita que não aparece nos resultados consultados). O resultado seria: 19,3% para os "centros" e a direita

Reparem bem na distância (e no tipo de distância) existente entre as opiniões dos cidadãos e as dos "nossos" magistrados:
Entre os magistrados judiciais as opções mais à direita chegam quase aos 60%; enquanto que, entre a população, essas opções chegam quase aos... 20%

Entre os magistrados do Ministério Público a situação é semelhante, para pior; as opções especificadas somam (33,2 + 19,7 + 6,7 + 0,8=) 60,4%... mas 6,7% dos procuradores assumem-se "de direita". Os juízes são mais discretos ou mais hipócritas?

Portanto, tudo o que esta gente diz sobre "agilizar" a justiça; sobre a "independência" (ninguém consegue ser independente das suas próprias concepções políticas, filosóficas e sociais), etc. tem de ser entendido na óptica da "reaccionarice" próprias das suas opções política e das suas actuações. Não tenham ilusões nem esperem mudanças para melhor.

Se os critérios de selecção e colocação destes "profissionais" não estivessem "inquinados" pelos compadrios, tráfico de influências, favorecimentos e afins (pela formação também?), o que seria de esperar era que as suas opções políticas fossem semelhantes às da sociedade...

Porém, estas constatações nem surpreendem. A situação resulta do facto de a "revolução" de Abril ter parado às portas dos tribunais, das repartições públicas, etc. deixando os mesmos reaccionários do "antigamente" nos mesmos cargos... donde estes e os seus "capangas" trataram de se apropriar de tudo... seleccionando os seus "semelhantes" para acesso aos cargos que controlam, como forma de se "reproduzirem" e de garantirem o êxito das suas concepções políticas. Depois vieram os retornados completar (e agravar) a situação... 
Estes factos (cujas consequências estamos a penar agora) dizem muito, também, da falta de "qualidade" dos políticos, INCLUINDO os que "se chegaram à frente" logo após o 25 de Abril. São todos iguais! Esse é o nosso verdadeiro drama.

Nós iremos relacionar aqui, brevemente, (espero) um conjunto de situações reais que comprovam que as nossas instituições NÃO cumprem as leis, nem a constituição, nem nada; cada um faz o que quer e nem adianta reclamar; só serve para perder tempo.

Mas, no que concerne à magistratura, a questão, actualmente, é muito mais grave:
Temos vindo a assistir, ao longo das últimas décadas, ao recrudescer da apropriação de "competências" e de poder, sem limite e sem controlo externo, por parte da magistratura, que assim se furta (com a cumplicidade criminosa dos políticos) a qualquer controlo democrático. O "poder" dos juízes vem directamente de Deus (ou de algum diabo, como veremos aqui)... como convém às suas concepções reaccionárias. Qual democracia qual o quê? A "democracia" (se alguma existisse) fica à porta do Tribunal; lá dentro reina a tirania própria da governação da "direita".

A situação dentro das repartições públicas é semelhante. De tal maneira que, actualmente, ninguém cumpre as leis; nem sequer os do sector da justiça incluindo os Tribunais. O controlo dos sectores mais reaccionários da sociedade sobre as nossas instituições é total. E é isso mesmo (e só isso) que explica o "êxito" daquela conspiração monstruosa que foi e é o "Processo Casa Pia".

Os actos de banditismo da justiça (de cujos um deles está documentado na foto acima) vêm de longa data e têm vitimado uma grande quantidade de cidadãos; e, tal como se vê no Processo Casa Pia (e também no meu caso) a justiça portuguesa não sabe, não pode (é contra os conceitos reaccionários dos seus agentes), nem quer corrigir os seus erros... porque não se trata de erros mas de actos criminosos propositados e com objectivos definidos...

O Processo Casa Pia (eu disse-o desde o início) cumpriu vários objectivos todos eles conspirativos e reaccionários (vamos apenas referir alguns, os mais importantes e ignorados, porque outros já têm sido referidos por aí):
1 - Por um lado (é óbvio e toda a gente o reconhece), pretendeu minar as bases do PS (o partido mais votado), sendo que esse objectivo (e vários outros que referiremos) já vinha sendo preparado desde o século passado pelo SIS (outro antro de conspiradores e reaccionários). Se não vejamos: 

.../.../...
"Uma brigada da PJ, chefiada por Ana Paula, descobre criminalidade pedófila, no Parque Eduardo VII e nos Jerónimos, com envolvimento, preponderante, de alunos da Casa Pia, de várias idades. A actual coordenadora de investigação criminal, Rosa Mota, tentou parar a investigação, dizendo, a Ana Paula, que era uma questão “muito perigosa”. Esta, no entanto, continuou; e organizou um ficheiro dos miúdos. Repare-se que, neste ano, já Pedro Strecht “acompanhava” os alunos da Casa Pia. Os miúdos mostraram casas no Restelo, Cascais e Coruche. Um deputado europeu foi apanhado em flagrante (Eurico de Melo - PSD). Ana Paula recebeu “ordens” para “esquecer o sujeito”. Não obedeceu totalmente e, como consequência, os elementos que trabalhavam com ela foram perseguidos, acabando por pedir transferência. Mesmo assim, Ana Paula ainda descobriu muito, de muitas figuras, e também filmes domésticos. Foi afastada da Brigada e “posta na prateleira”. 
Quatro ou cinco anos mais tarde, (na viragem do século, portanto) foi “apertada” pelo Dr. Rui Pereira, Director do SIS, e pelo chefe Basílio, também do SIS, que queriam “informações” sobre o caso dos miúdos. Basílio queria elaborar um dossier que estabelecesse a ligação entre políticos do PS, figuras ligadas a esse partido, e a homossexualidade. Ele, e colaboradores, andaram a entrevistar miúdos e adolescentes, nas zonas de prostituição masculina e nas cadeias."
.../.../...

Isto que se transcreve acima foi extraído deste documento: "A denúncias do Muito Mentiroso".

Conclui-se que o "Processo Casa Pia" materializa uma conspiração, com várias vertentes, que vinha sendo preparada desde há muito. NADA, no "Processo Casa Pia", aconteceu por acaso...

Como se pode ver, quanto ao deputado europeu (Eurico de Melo - PSD) a questão era "muito perigosa"... e chegaram a ser invocados, pelo SIS, "razões de Estado" e "segredo de Estado" para proteger este e outros sujeitos doutros partidos (e da magistratura também) que não fossem do PS (como no caso do atelier de Lagoa Henriques)... mas, o mesmo SIS queria "elaborar um dossier" para tramar o PS, ainda no século passado.

A desmoralização do PS, como forma de reduzir a sua expressão eleitoral e permitir "a tomada do poder" pelos da direita foi apenas uma das vertentes da conspiração (que até contou com apoios dentro do próprio PS - porque Sócrates tinha sido um dos "eleitos" para as reuniões do Bilderberg?).

2 - Por outro lado
Documentos internacionais, publicados online, sobre a estratégia dos neo-cons para dominarem o Mundo, "oferecem" outras explicações que "justificam" o envolvimento de Carlos Cruz (e as perseguições a Isaltino, por exemplo). Segundo essas denúncias, o grupo Bilderberg (cujo representante máximo conhecido, em Portugal, é Pinto Balsemão) usa as mesmas estratégias dos neo-cons que são coerentes com os objectivos conspirativos perceptíveis, do Processo Casa Pia.

Este tipo de conspirações é mesmo assim. Garante-se o êxito através de conluios. Depois de iniciado o Processo, cada grupo mafioso "tirou a sua casquinha", como convém. É por isso que se faz referência, frequentemente, nos raros textos que abordam o Processo deste ponto de vista, aos interesses ou objectivos deste ou daquele grupo ou personalidade. É caso para dizer que, nesses textos, se "vê a árvore mas não a floresta". 

O certo é que esse objectivo mais vasto (de desmoralização da sociedade através da aniquilação das pessoas que tenham prestígio) permanece inalterável e tem tido êxito total como o demonstra a nossa tenebrosa situação actual e a incapacidade da sociedade para reagir.

3 - Mas vamos à "parte de leão" dos objectivos desta conspiração: O Processo Casa Pia:

A magistratura, por um lado, e a comunicação social, por outro, ficaram com "a parte de leão" dos resultados pérfidos da conspiração, sem que isso belisque, bem pelo contrário, os objectivos e interesses já descritos. Aliás, é nesse ambiente de ausência de lei e de segurança, de arbítrio, de poder absoluto, de controlo mental das pessoas através da intoxicação da propaganda (nazi), que se concretizam plenamente os objectivos da conspiração mais vasta, enunciada.

Quanto à magistratura, depois do "Processo Casa Pia", onde cometeu toda a espécie de actos de banditismo, impunemente e às claras, instalou-se definitivamente o arbítrio, a prepotência, o compadrio, o tráfico de influências, a troca de favores entre todos os "eleitos" sejam eles de que quadrante forem (político, empresarial, máfias  vulgarmente designadas "sociedades secretas", etc.), tudo sem limites... tal como o próprio processo casa pia.

Portanto, os senhores magistrados "consolidaram" um poder absoluto e discricionário sobre a sociedade, que está acima do poder político, "governando" em nome de forças políticas (das suas convicções) que nunca chegariam nem chegarão ao poder através do voto... a isto chama-se: conspiração.


Entretanto, os políticos são achincalhados na praça pública como forma de manter um poder "eleito" frágil e nas mãos de falhados* que podem "ser lançados ao lixo" a qualquer momento sem que alguém levante um dedo para os defender.


* Nota: 
Passos Coelho é um ex(?)-toxicodependente com um historial arrepiante em termos de violência doméstica; Cavaco Silva tem alzheimer (diagnosticado há cerca de 11 anos, segundo fonte fidedigna) e é "protagonista" nos escândalos que todos conhecem, nomeadamente o do BPN.

As "vantagens" conseguidas pela magistratura vão ser "sol de pouca dura". A cretinice é a característica dominante de todos os reaccionários. Os magistrados também irão ser arrastados na voragem dos interesses que agora ajudam a consolidar na sociedade através das suas patifarias. Já aconteceu a outros e estes, os magistrados, também já começam a pagar o preço... mas ainda é apenas o começo.

Entretanto, não adianta o cidadão que seja lixado reclamar, recorrer, nada; como se vê no Processo Casa Pia. A ignomínia é quem mais ordena nos nossos tribunais e outros departamentos da justiça, favorecendo os amigos "criminosos" e perseguindo as pessoas de bem. Tudo às claras, como convém e como decorre do processo Casa Pia... e doutros processos igualmente perversos que mandaram inocentes para a cadeia, que continuam presos apesar de "toda a gente" saber que estão inocentes .

Quanto à comunicação social, o Processo Casa Pia serviu para testar o que de infame é possível fazer na nossa sociedade, às claras, à vista de todos, contando com o controlo mental das pessoas conseguido através da comunicação social e da intoxicação com as notícias inventadas e falsas... e as falsas "violações do segredo de justiça"...

Também estes (da comunicação social), coitados, só serão importantes" e "poderosos" enquanto forem "lacaios dóceis"... e enquanto forem úteis e necessários; situação que não vai durar para sempre...

A crise, na sua voragem, arrastará tudo e todos. Para eles é bem feito porque são os principais culpados da crise (a começar pela de valores que é o que gera todos os outros problemas)... O Pior é que, antes deles terem o que merecem, muita gente vai sofrer horrores, incluindo crianças...

Os "investigadores" já foram para o lixo... os outros irão a seguir, cada um a seu tempo. Ainda hão-de precisar de nós...


A seguir a transcrição da análise (estudo) referida acima:

.../.../...
.../.../...
Mais de metade (57,8 por cento) dos magistrados inquiridos numa análise do Centro de Estudos Sociais, da Universidade de Coimbra, defende ser necessário agilizar a administração da justiça e simplificar os procedimentos.
O estudo, subordinado ao tema "Quem são os nossos magistrados?" e ao qual responderam 574 magistrados (judiciais e do Ministério Público) e que será hoje apresentado, revela que a segunda prioridade indicada (9,7%) para a reforma do sistema é a reorganização do mapa judiciário.
"Dotar os órgãos de justiça de meios de registo, transmissão e processamento de dados" surge em terceiro lugar nas reformas pretendidas, com 8,7% das respostas, seguido da opção "melhorar a remuneração dos profissionais na área da justiça", com 6,4%.
Os inquiridos consideram igualmente importante aumentar o número de magistrados do Ministério Público e de juízes de primeira instância.
(...)

Sobre a evolução que se sentiu nos últimos dez anos, 32,6% dos inquiridos consideram que, relativamente à independência no exercício profissional, a situação "tem piorado", enquanto 8,8% dizem que "tem melhorado" e mais de metade (51,2%) acha que "tem permanecido igual".

Ordenado e prestígio têm "piorado muito"


Relativamente à remuneração, 61,1 por cento garantem que "tem piorado muito" e 33 por cento que "tem piorado". Apenas 3,6 por cento das respostas referem que "tem permanecido igual".
Relativamente ao "prestígio na sociedade" da profissão, 52,5 por cento entendem que "tem piorado muito" e 42,5 por cento que "tem piorado", enquanto 4,8% dizem que "tem permanecido igual".
Uma larga percentagem (59,3 por cento) dos magistrados concorda que a actividade "gera stress profissional" e 42 por cento acham que "o volume de trabalho é excessivo".
Um total de 38,6 por cento admite que "tem, por vezes, uma relação emocional com os casos que deve decidir" e 53,3 por cento declaram-se "motivados no exercício da profissão".
Questionados sobre a sua orientação política, 35,4 por cento dos juízes declararam ser do "centro" e 23 por cento do "centro-direita", enquanto 23,9 dizem ser do "centro-esquerda" e 10,6 de "esquerda". De extrema-direita surge uma percentagem de 0,9 por cento.
O "centro" também preenche a maior fatia da orientação política dos magistrados do Ministério Público, com 33,2% das respostas, seguido do "centro-esquerda", com 26,1 por cento, e do "centro-direita", com 19,7 por cento. A "direita" obtém 6,7 por cento das respostas e a extrema-esquerda 3,4 por cento. A extrema direita não ultrapassa os 0,8 por cento.
A amostra do estudo é composta por 574 respostas, das quais 343 foram dadas por magistrados do MP, 151 por juízes e 80 por "desconhecidos".
O estudo, da autoria de António Casimiro Ferreira (coordenador), João Paulo Dia, Conceição Gomes, Madalena Duarte, Paula Fernando e Alfredo Campos, é hoje apresentado no seminário "Quem são os nossos magistrados? Caracterização profissional dos juízes e magistrados do Ministério Público em Portugal", em Lisboa.

.../.../...


Ler mais: http://expresso.sapo.pt/maioria-dos-magistrados-descontente-com-salarios=f831416#ixzz2kdkQlx7A



«»«»«»«»«»
APELO!
Participação Cívica e Direitos Fundamentais:
-- Petição Para Valoração da Abstenção
--- Assine a petição AQUI ou AQUI, ou AQUI, ou AQUI
(Nota: Alguns dos sites "linkados" começaram por boicotar a petição impedindo as pessoas de assinar e, mais recentemente, suprimiram a página com as assinaturas. Apenas "Gopetition" se mantém acessível sempre)
«»«»
-- Denúncia de Agressão Policial
--- Com actualizações AQUI e AQUI
«»«»
-- Petição contra os Crimes no Canil Municipal de Lisboa
»»»»»»

1 comentário:

  1. http://teoriadaconspiracao-portugal.blogspot.pt/

    ResponderEliminar